quinta-feira, 1 de junho de 2017

CBF classifica invasão da FPF de "caso grave" e avisa que só dialoga com Amadeu

Secretário-geral da entidade nacional, Walter Feldman pondera que a democracia não comporta atos de violência e de agressão e destaca que não reconhece Nosman Barreiro como presidente

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, classificou como um “caso grave” o episódio ocorrido na noite desta quinta-feira na sede da Federação Paraibana de Futebol, em João Pessoa, quando o vice-presidente da entidade, Nosman Barreiro, invadiu o local e se declarou como novo presidente. Segundo Feldman, que também é deputado federal por São Paulo, o que aconteceu não foi um ato democrático.

- A democracia não comporta atos de violência e de agressão. Não dá para um vice-governador, por exemplo, entrar numa sala e se declarar governador - declarou.

O dirigente da entidade nacional disse também que está “acompanhando de perto o caso paraibano” e deixou claro que a FPF não reconhece nenhum outro presidente que não seja Amadeu Rodrigues.

- Amadeu foi eleito democraticamente e é ele quem fala na CBF em nome do futebol paraibano e da FPF. Estamos esperar ele retornar ao Brasil, de uma viagem que fazia em nome da CBF, para dialogarmos. Só conversaremos com ele – pontuou.

Durante a confusão, advogados da Federação Paraibana de Futebol chegaram a dizer que em reposta a Nosman a CBF tinha decretado intervenção na entidade estudual. Algo que acabou sendo negado por Waltr Feldman:

- Isso só acontece em últimno caso. Isso tem que ser dialogado na esfera local.

GE
Foto: Reprodução SporTV