CURIOSIDADE: Entre 1978-1981 o Treze FC mudou para Treze Athletico Paraibano

A história de glórias do Treze Futebol Clube seguiu normalmente até meados dos anos 70, no qual o clube atolado em dividas, principalmente, com a previdência social fez com que a diretoria adotou uma estratégia para escapar desse abismo. Acreditando que poderia obter recursos junto ao Ministério da Educação e dos Esportes já que um programa governamental, apresentou  uma proposta para arrecadar recursos para a construção de uma vila olímpica.

Nas entrelinhas seria uma forma de fazer o básico com o dinheiro para construir o essencial. Para isto, o clube não poderia ter dividas no seu cadastro com o governo. Em 1978, a diretoria decidiu dar aquele “jeitinho brasileiro” e mudou o nome do clube e o CNPJ, trocando “Treze Futebol Clube” para “Treze Athletico Paraibano”.

Durante três anos o clube manteve essa nomenclatura, mas sem o consentimento da sua apaixonada torcida. Então, em Novembro de 1981, com a pressão dos torcedores, tendo Bióca à frente de uma grande movimento, a diretoria do Treze aceitou que fosse realização um plebiscito para definir se mantinha o nome ou se voltava para o original.

E o resultado foi acachapante para não deixar dúvidas: 300 contra 4 votos e o clube voltou a adotar o nome de fundação: Treze Futebol Clube. A curiosidade é que antes de voltar ao antigo nome o Treze Athletico Paraibano, se despediu conquistando o Campeonato Paraibano da 1ª Divisão de 1981. Ele também conquistou o Torneio Paraíba-Rio Grande do Norte (1980), Torneio Pentagonal Cleto Marques de Almeida (1979) e duas Taças Cidade de Campina Grande (1978-1979).

Cacellain