Campinense adota postura diferente da do Botafogo, e Simões segue como presidente

Diferente do que aconteceu no Botafogo, o Campinense não mudou nada em sua diretoria - 10 dias após a Justiça determinar o afastamento de dirigentes do Belo e da Raposa - Até o momento, ainda não houve notificação oficial aos clubes, mas, enquanto no Alvinegro de João Pessoa alguns diretores tomaram a iniciativa de entregar seus cargos, no Rubro-Negro de Campina Grande o presidente William Simões segue no comando.

No começo da manhã desta sexta-feira, a assessoria de comunicação do Campinense informou que nenhum documento da Justiça chegou ao clube e, por isso, o presidente William Simões segue normalmente exercendo seu cargo à frente da Raposa. Nesta semana, inclusive, o vice-presidente do clube, Félix Braz, garantiu que não foi procurado para assumir a presidência e que "William é o presidente do Campinense".

Vale lembrar que, na semana passada, a juíza da 4ª Vara Criminal de João Pessoa acolheu a denúncia do Ministério Público da Paraíba e tornou réus os presidentes do Campinense e do Botafogo. Mesmo sem notificação da Justiça, nessa quinta-feira, os dirigentes do Belo confirmaram o afastamento dos cargos até que o processo seja encerrado.

Além do pedido para que os dirigentes investigados deixem seus cargos, a juíza Andréa Galdino determinou uma série de outras medidas com relação aos réus, como, por exemplo a entrega dos passaportes, a proibição de acesso às instituições desportivas, a determinação de recolhimento após às 21h e o comparecimento em juízo pelo menos uma vez por mês.

GE