Próximo do rebaixamento, Tropa Campina, precisa de planejamento para crescer no Futebol Americano

Vivendo o sonho de tentar popularizar a prática do futebol americano em Campina Grande, o Tropa Campina Unifacisa, que representa a cidade, está em situação bem complicada no Campeonato Brasileiro da modalidade. Mesmo com os altos investimentos, a equipe não conseguiu superar a tradição e os investimento dos rivais regionais e a tendência é que precise se dedicar a um recomeço de baixo para voltar a subir.

Com cinco derrotas em cinco jogos, o Tropa tem uma situação praticamente irreversível pela frente, já que ocupa a lanterna isolada da Conferência Nordeste da competição nacional e dificilmente vai escapar do rebaixamento.

Esse, no entanto, não é o ponto final para o time, que nasceu com o intuito de crescer e fazer jus ao nome de "Grande" que Campina carrega. Para mostrar força, os próximos anos da equipe devem ser de um intenso recomeço, contando com o alto investimento da parceria firmada com uma rede educacional neste ano.

Mesmo com a vontade de vencer e alçar voos mais longos na competição nacional, o Tropa não conseguiu se equiparar aos adversários nordestinos que vêm, ano após ano, profissionalizando cada vez mais a prática do esporte. Mesmo com um investimento maior em 2018, a diferença para as outras equipes foi perceptível. Durante a competição, o presidente Renan Souza avaliou a diferença de investimentos como um dos fatores que influenciaram o desempenho da equipe.

- A gente veio se preparando. Só que a primeira divisão do Brasileiro é um campeonato muito forte. Todas as equipes se prepararam também. Todos os times contrataram bons jogadores. Nós esperávamos ficar mais nivelados com as equipes principais, mas elas vieram pesado - declarou o mandatário do clube.

 Agora o time precisa levantar a cabeça, recalcular rotas e voltar a olhar para a frente. Já que, caso o rebaixamento se confirme, o time irá ficar fora da competição nacional em 2019 e deverá disputar a divisão de acesso nordestina para tentar voltar à elite da modalidade. A expectativa é que o investimento e planejamento possam trazer a equipe de volta o quanto antes para o Brasileirão.

Para evitar a queda, o time de Campina Grande precisa vencer o Recife Mariners neste sábado, torcer por derrota do Ufersa Petroleiros para o Bulls Potiguares e ainda tirar uma diferença no saldo de pontos, que no momento é de 87 pontos para o time potiguar. GE