Série B do Paraibano já tem três times com nova sede em relação a 2017

A cada ano a Série B do Paraibano se notabiliza por mesmos times, mas cidades diferentes no calendário. Uma situação sui generis que se repete em 2018 com pelo menos três equipes “respirando novos ares” e jogando em cidades diferentes em relação ao ano passado.

Para a edição de agora, o Internacional, que caiu da primeira divisão em 2017, sai de João Pessoa mais uma vez e agora tenta fincar raízes em Lucena, cidade que chegou a ter um time profissional levando seu nome, mas que nunca atuou por lá – o Lucena Sport Club, campeão da Série B 2014 atuando na capital, se transferiu para Campina Grande, onde ficou por dois anos antes de se mudar para Cruz do Espírito Santo e virar o atual São Paulo Crystal.

Além dele, o Femar, outro clube originalmente de João Pessoa, fez viagens ainda mais longas. Em 2017 atuou em Teixeira e, agora, se manda para a cidade de Sumé – o que faz com que o Cariri volte a ter um clube profissional depois do longo período de inatividade da Socremo de Monteiro.

Por último, o Sport Campina mudou de nome e de cidade. Em parceria fechada recentemente, a equipe agora defende Lagoa Seca, cidade no entorno de Campina Grande, e agora se chama Sport Lagoa.

Mudanças que tanto tem como carro-chefe patrocínios com o poder público quanto buscam bilheteria, já que as cidades não costumam receber campeonatos profissionais. Agora é ver se esse segundo objetivo se sobressai em relação ao primeiro.

Redação OP9