Conheça as proposta do pré candidato a presidente da FPF, Eduardo Araújo, para melhora o futebol paraibano

"Por um futebol ético e eficiente"

Presidente: Eduardo Araújo
Vice 1: Arlan Rodrigues
Vice 2: José de Moraes
Vice 3: Valdir Cabral

A chapa encabeçada pelo advogado Eduardo Araújo é composta pelos empresários Arlan Rodrigues (ex-presidente do Atlético de Cajazeiras), Valdir Cabral (ex-presidente do Serrano-PB) e José Moraes (ex-mandatário do Spartax de João Pessoa). Para o Conselho Fiscal, foram inscritos José Murilio Junior, Eurípedes Leal de Oliveira, Victor Rocha Lucena, Yuri Carlos de Araújo, Jefferson Francisco da Costa e Ana Lucia Oliveira.

Eduardo Araújo é formado em Direito, atua como advogado e tem 31 anos. O dirigente teve uma passagem relâmpago pela FPF, quando assumiu o cargo de diretor executivo da entidade na gestão de Amadeu Rodrigues. Ele começou a trabalhar no dia 9 de abril, quando foi deflagrada a Operação Cartola, que investiga um esquema de corrupção entre dirigentes da FPF e de clubes de futebol que supostamente agiram para manipular resultados do Campeonato Paraibano deste ano. Com isso, o seu trabalho acabou sendo conturbado e chegando ao fim quando a Justiça afastou Amadeu, e Nosman Barreiro tomou posse na entidade.

Principais propostas:

  • Reestruturação e modernização da sede da FPF;
  • Criação de subsedes da FPF no Agreste e no Sertão;
  • Revitalização do Departamento Amador e de LigasCriação da Supercopa de Ligas;
  • Contratação de serviçor de integridade de empresa privada que trabalha na prevenção e combate a manipulação de resultados;
  • Criação da Escola de Árbitros e reformulação no quadro atual;
  • Criação da TV FPF;
  • Transparência financeira, com relatórios trimestrais;
  • Divulgação do calendário de competições dos próximos quatro anos;
  • Realização de Assembleia Geral para anistia total de débitos passados.