Clubes admitem judicializar o processo eleitoral da FPF

Redação: Ivo Marques / Jornal A União
A eleição de Michelle Ramalho à presidência da Federação Paraibana de Futebol (FPF), no último sábado (29), deverá ser judicializada e não será pelo candidato perdedor, Eduardo Araújo, e sim por alguns clubes. Começam a surgir denúncias e possíveis provas de que houve compras de votos e participação direta da intervenção do STJD para beneficiar determinados clubes que acabaram subscrevendo e votando na chapa vencedora.

A reportagem de A União teve acesso, através de uma fonte, que não quis se identificar temendo represálias, mas que cedeu um documento comprovando que houve irregularidade no processo eleitoral. Segundo o denunciante, a chapa ‘Unidos somos mais fortes’, encabeçada por Michelle Ramalho, não tinha o número mínimo exigido de clubes profissionais para registrar a chapa e, por isso, passou a tentar comprar os clubes que já estavam registrados na chapa ‘Por um futebol ético e eficiente’.

Segundo a fonte, o grupo vencedor estava oferecendo R$ 30 mil e mais uma vaga para a participação na Copa São Paulo de Futebol Junior, mesmo que a equipe não tenha conquistado a vaga no Campeonato Paraibano, como CSP e Queimadense, campeão e vice da competição.

Indagado sobre quem seria o beneficiado com essa irregularidade, o dnunciante afirmou, depois da insistência da reportagem, que um dos clubes foi o Femar, equipe que já estava subscrita na chapa encabeçada por Eduardo Araújo e depois subscreveu também na chapa de Michelle e votou na presidente eleita.

A reportagem exigiu uma prova da falcatrua e o dirigente disse estar de posse de um documento da FPF, na véspera da eleição, assinado pelo interventor João Bosco Luz, solicitando ao presidente da Federação Paulista de Futebol, a inclusão do Femar na Copa São Paulo de Edição: Geraldo Varela Editoração: Maradona Futebol Junior, mesmo a equipe não tendo chegado sequer às semifinais do Campeonato Paraibano da categoria, para ser o terceiro representante da Paraíba na competição. Segundo o denunciante, o pedido à Federação Paulista tem o apoio também de uma figura com grande poder na CBF, amigo de Michelle.

 Além do documento, a fonte da denúncia foi ainda mais longe, enviando fotos de uma possível reforma na casa do presidente do Femar, professor Severino Ferreira, com o dinheiro recebido. Por questões éticas, não achamos por bem divulgar as fotos, porque não há provas da procedência do dinheiro para a obra.

Segundo a fonte, outras denúncias documentadas surgirão ao longo desta semana, comprovando que o pleito foi todo dirigido para a vitória da chapa apoiada pela ex-presidente Rosilene Gomes, afastada do cargo pela Justiça. Ainda de acordo com o denunciante, alguns dirigentes revoltados têm áudios e prints de whatsapp, além de diversos documentos que serão entregues à imprensa nos próximos dias.

Jornal A União