Jogadores abandonam treinos, e time vai a campo sem reservas em partida da 2ª divisão do Paraibano

Primeiro o velho problema de atraso dos salários, tão comum em clubes de menor expressão no futebol brasileiro. Depois a revolta dos jogadores, que abandoram os treinos ao longo da semana. E, por fim, o time vai a campo sem reservas e com apenas dois integrantes da comissão técnica. Parece a descrição de uma várzea, mas trata-se de futebol profissional. Ou nem tanto assim. Essa foi a situação vivida pelo Sabugy de Santa Luzia, um time do interior da Paraíba, que enfrentou o Esporte de Patos neste domingo apenas com os 11 titulares, observados da beira do campo somente pelo treinador e pelo massagista. Com tantos problemas, o Gavião, como é conhecido, foi goleado por 4 a 0 e, assim, segue sem somar pontos na 2ª divisão do Campeonato Paraibano.

A cena foi, no mínimo, inusitada. Sobretudo no momento do aquecimento pré-jogo, já no gramado do Estádio José Cavalcanti, em Patos. É que, com a comissão técnica bem desfalcada, o treinador Sidgley Souza precisou assumir o papel de preparador de goleiros e ajudar a aquecer o camisa 1 do time, Albert. Enquanto isso, os únicos 10 jogadores de linha à disposição do clube na partida aqueciam ao lado, por conta própria, sem o auxílio de um preparador físico.

O time disputou os 90 minutos de jogo diante do Esporte sem poder contar com uma substituição sequer. Ao longo da partida, inclusive, o meio-campista Bodinho sentiu uma contusão, já no segundo tempo, e chegou a ser retirado de campo. Ele foi atendido pelo massagista e, se não tivesse mais condições de jogo, teria deixado o Sabugy com um jogador a menos que o adversário. Mas retornou e seguiu até o fim. O Esporte de Patos, por sua vez, fez as três alterações a que tinha direito.

Segundo o técnico Sidgley Souza, a situação vexatória vivida pelo clube de Santa Luzia neste domingo é consequência da precária estrutura do clube, que culminou até com a falta de treinos na última semana. Ele explicou ao fim da partida que vários atletas alegaram atraso no pagamento dos salários e, por isso, abandonaram os treinamentos. Mesmo assim, o time foi a campo neste domingo, cumprir com a sua obrigação na quinta rodada da 2ª divisão do Paraibano.

- A gente está tendo muita dificuldade na parte financeira da equipe. Mas a gente tem que cumprir as obrigações e sair como homem. Eu vim para cá sabendo da pouca estrutura, mas esperando mais profissionalismo. Inclusive, nem treinando nós estamos. É muito difícil trabalhar dessa forma - comentou o treinador.

Sem poder contar com nenhum atleta no banco de reservas, o Sabugy acabou sendo presa fácil para o Esporte de Patos, foi goleado por 4 a 0 e se afundou ainda mais na última colocação do Grupo do Sertão. Em cinco jogos disputados até o momento, a equipe acumula cinco derrotas e sofreu 20 gols, marcando apenas em quatro oportunidades.

Só que a falta de atletas para compor o banco de reservas não foi exclusividade do Sabugy de Santa Luzia nesta rodada da Segundona do Paraibano. Na partida entre Perilima e Queimadense, pelo Grupo do Agreste, a equipe de Queimadas também teve dificuldades e foi a campo apenas com dois jogadores no banco de reservas.

O fato pesou nos minutos finais da partida, que terminou com a vitória da Perilima por 1 a 0, e boa parte do grupo da Queimandense acabou sofrendo com câimbras e com o cansaço da partida. Assim como o Sabugy, a Queimadense também está eliminada da competição estadual, mas já conseguiu uma vitória nos cinco jogos que disputou.

GE