Pilota brasileira brilha nas pistas dos EUA e fatura título inédito para o Brasil

A pilota Alline Cipriani conquistou em Daytona, nos EUA, um título inédito para o automobilismo brasileiro. Ela fechou a temporada de 2018 da Trans Am GT , um dos mais tradicionais torneios de esporte a motor da América do Norte, como campeã da categoria TA3 a bordo de um modelo Ginetta G55.

O campeonato teve 11 etapas em pistas como Indianápolis, Road Atlanta, Watkins Glen, Circuito das Américas e Mid Ohio, e foi marcada por intensa disputa entre a pilota brasileira e o norte-americano Mark Boden – que era o atual campeão da categoria.

Alline Cipriani tornou-se a primeira brasileira a conquistar um título no automobilismo norte-americano e a primeira pilota do país a vencer uma competição internacional desde que Suzane Carvalho, em 1992, sagrou-se campeã da Fórmula 3 Sul-Americana.

Alline também tornou-se a primeira mulher a ser campeã na Trans Am GT pela categoria TA3. “A vitória não é apenas minha, mas sim de todo o time Ginetta USA. Gostaria de fazer um agradecimento especial ao meu marido, Adolpho Rossi, que sempre foi o meu maior incentivador e esteve ao meu lado nessa jornada no automobilismo”, disse.

“Quero agradecer, também, aos meus mecânicos, Ernesto Morando e Mauro Vieira, por toda a dedicação e empenho ao longo deste ano. Estão todos de parabéns e sem eles eu não teria chegado onde cheguei. Esta vitória é nossa, e estamos todos muito felizes com o resultado fantástico do nosso trabalho ao longo deste ano, que resultou neste título inédito”, comemorou a brasileira.

Alline também recebeu o troféu de estreante do ano, já que em 2018 completou sua primeira temporada na Trans Am GT depois de dois anos distante das pistas em razão do nascimento de seu filho Enzo.

Antes desta conquista, ela já havia sido campeã brasileira de endurance e bicampeã do FARA – torneio realizado na Flórida. Ao longo da temporada, a brasileira enfrentou outros 26 pilotos na busca pelo título e ressaltou a força do trabalho em equipe para esta conquista inédita para o Brasil.

“Nunca pensei que isso poderia acontecer. No início do ano planejávamos fazer apenas algumas corridas, mas os bons resultados começaram a aparecer e focamos todos os esforços para terminar a temporada”, disse Alline.

“Foi um ano de muito trabalho, tanto para mim quanto para a equipe, e posso dizer que este é um sonho que se torna realidade. Foi difícil deixar meu bebê em casa para viajar para as competições, mas hoje vejo que valeu à pena”, completou a brasileira.

Alline chegou à disputa final com uma vantagem de nove pontos sobre o segundo colocado na tabela e fechou a corrida de Daytona na sexta posição. Seu principal adversário na luta pelo título, Mark Boden, foi o quarto nessa prova.

O tradicional circuito da Flórida, com longos trechos de aceleração plena, é favorável à maior potência de motor do Porsche 991 GT3 pilotado por Boden.

“A etapa final exigiu estratégia da nossa equipe. Sabíamos da dificuldade que iríamos enfrentar, e procuramos minimizar a menor potencia do nosso motor não só com um setup que privilegiasse a nossa velocidade de reta, mas também com uma boa estratégia de corrida. Foi um sufoco, mas deu tudo certo”, comemorou.

A fabricante inglesa Ginetta fez sua estreia na Trans Am GT e venceu nas duas categorias em que competiu. Além do título conquistado por Alline, a marca faturou, também, a primeira posição na divisão TA4 com o norte-americano Warren Dexter (que também sagrou-se estreante do ano) e levantou o título entre equipes em ambas as categorias. No total, foram seis conquistas no ano de estreia da marca na competição.

Confira os 15 primeiros colocados no campeonato de 2018 pela categoria TA3:
Alline Cipriani, 230 pontos
Mark Boden, 225
Tom Herb, 194
Dave Ricci, 168
Milton Grant, 157
Marko Radisic, 140
Cindi Lux, 132
Tim Kezman, 119
Randy Kinsland, 105
Jason Daskalos, 90
Dirk Leuenberger, 90
Larry Bailey, 55
Brian Kleeman, 43
Chris Outzen, 41
Carey Grant, 37

G1