Apesar do campo neutro, goleiro Gledson diz que o Caxias-RS não terá facilidade por jogar no Almeidão

Não são só os 130 km que separam o Estádio Presidente Vargas, casa do Treze, do Almeidão que mudam a condição da partida. Jogando no PV, o Galo alvinegro se manteve invicto na Série D. Foram três vitórias e dois empates.

A pressão da torcida seria um diferencial contra a equipe de Luiz Carlos Winck em Campina Grande, e o goleiro Gledson ex-Campinense, fala exatamente disso.

-  Muda bastante. Se analisar o retrospecto do Treze no PV, tem um grande aproveitamento. É um campo pequeno, onde a torcida está sempre apoiando e incentivando. Eles pressionam bastante a arbitragem e o adversário. O Almeidão tem um dos melhores gramados do Brasil, com muita qualidade, onde dá para nosso time condições de trabalhar a bola. É mais aberto. É praticamente um campo neutro - avalia o goleiro Gledson, que atuou pelo Campinense, maior rival do Treze, de 2015 até 2017.

Apesar disso, o camisa 1 grená não imagina que o Caxias terá facilidades em João Pessoa:

— É lógico que a torcida do Treze estará presente. É uma hora e meia de Campina Grande. Mas a dificuldade e a adversidade encontraríamos em qualquer lugar. Independente disso, nosso objetivo é o acesso. Sabemos que não vai ser fácil esse jogo, em qualquer estádio que fosse. O mais importante é que precisamos ir lá e conseguir um bom resultado.

Pioneiro