Josivaldo Alves minimiza inchaço no número de pré-candidatos na FPF e avalia disputa

Fazendo uma avaliação do atual cenário que se desenha para as eleições do dia 29 de setembro, Josivaldo Alves revelou que a dificuldade é realmente conseguir os oito apoios necessários dos clubes e mais oito dos amadores ou ligas. Contudo, pretende seguir com os pés no chão para surpreender.

- Eu sei que Eduardo (Araújo) disse que já possui os apoios necessários para a candidatura, Michelle (Ramalho) também possui alguns, além de Sandro (Gomes), que recebe apoio da maioria dos clubes amadores. Mas acredito que começar na frente não quer dizer ter vencido a eleição. Reconheço que, no momento, a minha chapa está atrás, mas não estamos batidos, vamos seguir firmes – declarou o dirigente.

Josivaldo também admitiu que ainda não conseguiu fechar a sua chapa e que possui apenas um nome para ocupar um dos três cargos de vice, conforme indica o atual estatuto da Federação Paraibana de Futebol (FPF). No entanto, o nome, segundo o dirigente, ainda não pode ser revelado, mas ele declarou que pertence a um clube amador do estado.

- Temos um nome para vice, uma pessoa da minha confiança que tem experiência em um clube amador. Porém, ainda é muito cedo. Temos tempo para conseguir os apoios e definir os outros dois vices. Vamos com muita calma – completou.

Além de Josivaldo Alves, outros quatro nomes se lançaram pré-candidatos: 1) o advogado Eduardo Araújo, 2) o ex-presidente do conselho fiscal da FPF, Marcílio Braz, 3) a auditora do STJD, Michelle Ramalho, e 4) Sandro Gomes, que é filho de Rosilene Gomes, que foi mandatária na entidade por mais de 20 anos.

GE