Com gol de Chaveirinho no último minuto, Campinense empata com o Sousa no Estádio Marizão

O Sousa abriu o placar com o zagueiro Ramon e conseguiu segurar a pressão do Campinense até os 49 minutos do segundo tempo, quando o atacante Chaveirinho empatou e o árbitro pôs ponto final no jogo. Daí para frente, jogadores, comissão técnica e o presidente do Sousa protestaram contra a arbitragem do sergipano Eloane Gonçalves Santos, que saiu de campo escoltado pela polícia.

A primeira etapa começou com o Sousa dando as primeiras cartadas e levando perigo ao Campinense, que até conseguiu equilibrar as ações do jogo, mas logo aos 7 minutos viu o zagueiro Ramon aparecer como um foguete na área e cabecear para o fundo das redes e abrir o placar. A Raposa sentiu o golpe, porém, voltou a equilibrar a disputa em campo e ameaçou o gol defendido por Murilo, obrigando o goleiro do Sousa a operar dois milagres. Primeiro com um chute de longa distância do atacante Afonso e depois com uma cabeçada do zagueiro Henrique à queima roupa. A pressão do Rubro-Negro, contudo, não foi suficiente para marcar o gol de empate.

Na etapa final, o Campinense seguiu trabalhando a bola de pé em pé e buscando espaços na defesa do Sousa, pressionando os donos da casa contra seu próprio campo. O Sousa, por sua vez, se aproveitava dos contra-ataques para assustar o goleiro Wagner Coradin. A insistência do Campinense em busca do gol só foi recompensada no último minuto de jogo, quando Neilson levantou a bola na área em cobrança de falta, a zaga do Sousa bateu cabeça e a bola sobrou para o atacante Chaveirinho mandar bara o fundo das redes. O árbitro Eloane Gonçalves Santos encerrou a partida logo após o gol, o que gerou protestos do time do Sousa.

Resumão GE