Interventor encerra trabalhos na FPF e fala em resgate do futebol paraibano

Acabou a intervenção na Federação Paraibana de Futebol! Em nota oficial divulgada pela assessoria da Confederação Brasileira de Futebol, o auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Flávio Boson Gambogi, indicado pela entidade nacional para tocar os trabalhos na FPF de forma interina - no lugar de Amadeu Rodrigues, afastado pela CBF - deu por encerrados seus trabalhos na Paraíba. O presidente eleito Amadeu Rodrigues volta ao cargo e retoma suas atividades à frente da Federação.

Flávio Boson estava desde o dia 17 de maio à frente da entidade que gere o futebol paraibano. Ele foi indicado pela CBF após a divulgação de graves denúncias de corrupção no futebol local. Atos que são investigados pela Polícia Civil e Ministério Público na Operação Cartola.

Boson entrou no lugar de Amadeu Rodrigues, afastado pela CBF, por conta das denúncias. Ele estava na Paraíba com a incumbência de fazer uma auditoria na FPF e ficar a par da investigação e do organograma e funcionamento prático da entidade estadual.

Entrou mudo e saiu calado. Não deu nenhuma entrevista e só fez uma aparição pública, em um jogo do Botafogo-PB no Brasileiro de Futebol Feminino. Só quis mesmo dar satisfação para a CBF e entregou para a entidade um relatório com suas avaliações sobre o que observou na Federação.

Confira na íntegra a nota de Flávio Boson:

Encerro hoje os 30 dias de Intervenção decretada pela Confederação Brasileira de Futebol junto à Federação Paraibana de Futebol.

Após intenso trabalho de um time de especialistas das mais diversas áreas, e que me foram disponibilizados pela CBF, encaminhei relatório circunstanciado em que exponho as minhas observações sobre a situação da FPF, registro os atos imediatos por mim editados e sugiro a adoção de outros num futuro próximo, visando ao restabelecimento da eficiência nos processos da entidade.

Neste momento, agradeço a acolhida que tive das autoridades e sociedade paraibana, e agradeço, sobretudo, a confiança que a CBF em mim depositou.

Permaneço à disposição para, se necessário, emprestar minha contribuição para que sejam superados os desafios que se apresentam ao resgate do futebol paraibano.

GE